Não perca os próximos episódios desta encantadora história ;D

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

14° Episódio (Novela de volta a ativa)!!!!

Maria Laís inconformada ainda com a atitude de Rodolfo,se entregou ao choro,sua irmã Ana Roberta não sabia mais o que dizer para tentar consolar a irmã,já sem idéia do que fazer pediu ajuda a Patrícia Luniart e a Sarinda que eram as melhores amigas de Maria Laís,e aproveitou para ir até a igreja,com a desculpa de rezar pelo namoro de sua irmã e Rodolfo.
O padre Gezuíno já estava quase desistindo da paróquia de Otakuzal do sul,não agüentava mais as investidas da jovem Aninha,ela sempre com seu jeito doce e envolvente ia atrás dele na sacristia e usava de artifícios tímidos porém sedutores para atrair sua atenção,o padre mesmo sendo novo resiste bastante a todas as investidas da moça,pois considera sua batina tudo que há de mais sagrado em sua vida.
Quando Ana Roberta entrou naquela manhã na igreja, o padre já foi atender outras beatas que estavam próximas ao altar,tentando evitar um contato mais próximo com a moça,mesmo assim não adiantou,a moçinha foi até ele implorando ajuda.
Ana mesmo sentindo pelo padre,coisas que ela nem imaginava poder sentir por um homem,um vontade incontrolável de ter ele,que para todos era um santo,e que para ela era o seu mais pecador e ardente desejo.Mesmo com essa tempestade de sentimentos pelo padre,Ana estava realmente preocupada com sua irmã,e pediu ajuda ao padre:

- Gezuíno,quero dizer seu padre,minha irmã está muito triste com o namoro dela,além disso ela está muito decepcionada com a vida,além de nosso pai ser um mentiroso e estúpido,agora o namorado dela também a magoou.Não tenho mais palavras para consola - lá,venho aqui te pedir ajuda,vamos até a minha casa cuidar de Maria Laís?

O padre sentiu no olhar da moça o calor do seu desejo,e nas suas palavras o carinho e a dedicação de uma santa.Assim não teve negar o pedido ,e aceitou ir até a casa do prefeito aconselhar sua filha mais velha.
Zé Mike como era o diretor substituto da escola ,até a chegada do próximo diretor,ficou sabendo da confusão que aconteceu entre sua filha Maria Laís e sua Ninfeta Karolyne Biscoitone.e até ficou satisfeito em saber que sua filha e o muleque do Rodolfo afonso tinham brigado,ele pouco se importava em ver sua filha triste,se com isso ela estivesse longe desse rapaz.
Ele também ficou sabendo que seu nome foi envolvido na confusão,mas nem se preocupou em dar explicações para alguém, qualquer coisa ele negaria e alegava que era fantasia de crianças.
O que não podia acontecer era o dono dos bilhetes anônimos revelar seus piores segredos,suas falcatruas e safadezas,isso sim tirava seu sono.
O português dono da fábrica que estava encarregado em desvendar o segredo dos bilhetes,pouco fez para isso,estava mais empenhado em esconder seus próprios segredos.
O juiz Murilo pimenta já tinha chegado a cidade,e já estava investigando junto ao delegado Calango,o possível paradeiro de sua esposa.
Mas,toda vez que ele dava umas voltas pela cidade,e tentava ir até a fábrica ver as duas funcionárias misteriosas,aparecia alguma pista falsa sobre sua mulher.Pistas plantadas pelo prefeito Zé Mike,cumprindo assim seu acordo com o português maluco.
Rodolfo arrependido pelo que fez com Maria Laís,também entrou em uma tristeza profunda,tentava ir atrás dela e pedir perdão,mas sabia que ia ser rejeitado,e pior ia ver sua amada triste isso partia seu coração e o desencorajava,ela não sabia o que fazer.
Pediu um conselho ao seu irmão Antônio,que lhe disse:
Rodolfo,você vacilou feio.Como sempre você foi acreditando no que estava superficial,como sempre você não escutou seu coração.Parece que você só sabe deixar seu coração e seus sentimentos fluírem quando escreve suas músicas e quanto canta,espero que você consiga reverter essa situação,por que Maria Laís não merece chorar por alguém tão volúvel.
Sim,Antônio foi bem áspero e grosso com seu irmão,sabia que passar a mão na cabeça dele não adiantaria,e que sim um sermão carregado de uma crítica intensa em relação a sua personalidade é o que poderia fazer ele reagir.
Enquanto todos por livre e espontânea vontade seguiam suas vidas,duas moças roboticamente,sem descanso nenhum trabalhavam dia e noite,sem nem piscar na fábrica de paçocas,elas estavam em meio a irregularidades assombrosas,não aparentavam estar em seu próprio corpo para reagir ou quem sabe denunciar.
E animais continuavam a sumir das fazendas,e a fábrica cada vez mais fazia sucesso na boca do povo.

9 comentários:

ton disse...

isso , o arroizal agradece por revive-lo o/ *O*

J. Malaquias o. Neto disse...

arroizal! Que bom que atualizou, continue... enquanto tiver pelo menos uma pessoa lendo já é incentivo (olha que eu num sou o único que lê!!!)

J. Malaquias o. Neto disse...

VISIONÁRIA!!!

Ana Luiza disse...

Aff, queria ter uma irmã assim hdjfhdhfh

Inative Blogger ! disse...

EU sou um Fãn do Arrozal tb *o* .. ADORO ler o Arroizal .. Ps.Odeio ler .. mais arroizal é muito interessando e divertido !

Ana Luiza disse...

AFF TAMIS CADÊ O 15?

J. Malaquias o. Neto disse...

tambem estou esperando! ¬¬'

Ana Luiza disse...

17 de fevereiro de 2010 17:17
CARALHO OLHA A COINCIDÊNCIA :O

J. Malaquias o. Neto disse...

EEEEEEEEEEEEEEIIIIIIIIIITAAAAAAAAAAAAAAAAA


sou 17, 17, 17, from Hell ahuahuahuahu

Postar um comentário